domingo, 14 de setembro de 2014

HÁ QUE SE ACREDITAR

Quando entrei na disputa para deputado estadual, eu não tinha nenhuma esperança de que a minha candidatura pudesse assumir grandes proporções, tendo em vista que candidatos movidos por idealismos e convicções sérias, não teriam grandes espaços na política. Ledo engano, o meu, e estou vendo algo impressionante. O eleitor não é mais aquele de 2004 ou 2008 quando fui candidato a vereador. O eleitor é atualmente muito mais adulto e reflexivo. Poucos foram os que pediram dinheiro para votar, quando nas eleições anteriores isso era comum. O cidadão brasileiro já é um eleitor de melhor qualidade. Eu entrei na disputa, sem esperanças de ser eleito, mas com o desejo de participar dos debates, de discutir os grandes problemas sociais e de medir a nossa “pressão”. Fizemos uma avaliação do desempenho da nossa campanha e conseguimos ver que temos chances reais de eleição porque há uma grande rebelião silenciosa de eleitores insatisfeitos com a atual política brasileira. Há muitas pessoas que nos procuram, como a Claudia, ontem perto do Itau, o morador do Tinga que nos permitiu colocar uma placa em sua parede, coisa que nunca autorizou antes, ou a pessoal do Califórnia II que está fazendo festa com a nossa possibilidade de chegarmos limpamente ao poder. Eu falo e repito que não há necessidade de se fazer críticas aos concorrentes, porque os defeitos dos outros não viram virtudes nossas quando os criticamos. Tenho respeitado todos os candidatos e pedido o voto de forma elegante e sincera. Pessoas simples ou não, parecem comemorar a nossa candidatura como se fosse delas. Se eu não for eleito, mas receber boa votação já estarei feliz de saber que ofereci o meu nome para que as pessoas não digam que não tinham alternativa. Sou uma opção e essa coragem de enfrentar o capital eleitoral de alto custo, faz de mim uma opção tranquila e simples. Eleição não pode ser um espetáculo de gastos e devaneios e precisa ser um simples exercício de cidadania. Alguém disse que se eu anão gastasse dinheiro eu não receberia votos. Errou quem falou isso, porque o Tiririca teve 5.300 votos em Caraguá, não pagou cabo eleitoral e nem comprou votos. Isso quer dizer que o voto dos indignados, pode estar a serviço das mudanças. Estamos contentes com o resultado que vamos obter nas urnas. E se você quiser nos ajudar a mostrar que política pode ser coisa limpa, confie-nos o seu voto e vamos conferir o resultado lá na frente. Eu vou criar a CCC- Central de Combate à Corrupção e ajudar a colocar alguns bandidos da política na cadeia. Eu odeio corrupto e afirmo uma vez mais que todo o agente público seja político ou administrativo que recebe propina ou contribui com a corrupção fechando os olhos diante dos abusos é tão bandido quanto qualquer ladrão de rua. Vamos combatê-los. Quero ajudar a organizar os sindicatos dos servidores para que sejam instituições que de fato os representem, porque o servidor público concursado precisa ser valorizado e respeitado, para voltar a ser a grande estrutura do estado. Chega de terceirizações. A luta está chegando ao fim e as adesões de última hora muito poderá contribuir com a mudança que se faz urgente.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

CADASTRO IMOBILIÁRIO NÃO PODE SER SECRETO

Conversei com o Junior corretor de imóveis, gente super fina, e perguntei a ele porque a sua categoria não consegue que a prefeitura de Caraguá coloque o cadastro imobiliário na internet, para que as pessoas consigam tirar certidões negativas de débitos pela rede. Ele, talvez pelo excesso de cautela, não soube ou não quis responder. Citei o exemplo de São José dos Campos, onde se consegue uma certidão de débito imobiliário em alguns minutos pela internet, e os corretores podem concluir as suas negociações de compra e venda de imóveis sem precisar ir até a prefeitura. Prometi que se for eleito deputado estadual, vou apresentar um projeto de lei estadual, é claro, que obrigue todas as prefeituras do estado a colocar esse serviço à disposição de todos os interessados. Vamos acabar com esse segredo cadastral. Ele ficou alegre. Eu prometo e vou cumprir.

PODE PUBLICAR SEU JOÃO LÚCIO

Uma adesão importante, ao nosso trabalho de campanha ocorreu agora à tarde, em um café na Padaria Sumaré, do Fabinho o gerente nota dez e o Baiano o chapeiro mais fera do litoral. O Jamesson Duarte, jovem articulista estudantil, aderiu de coração aberto à nossa candidatura a deputado estadual. Era uma adesão que eu gostaria de receber porque, como já afirmei, eu quero ser o padrinho da renovação política nesta região do litoral que tem sido alvo de dilapidações altamente perniciosas. São predadores ao invés de realizadores. Foi bom que Jamesson tenha se aproximado de nós, porque isso irá facilitar a nossa vontade de promover a renovação dos quadros no litoral. Destaque-se que foi adesão gratuita e de coração. Outros jovens virão e nós estamos de braços abertos para essa turminha que precisa ter a consciência de que se os jovens não assumirem o Brasil, nós teremos que devolvê-lo as os portugueses e do jeito que está o Brasil, é capaz de Portugal não o querer de volta.
Seja bem-vindo o Jamesson e todos os seus companheiros de militância. Repito: nós vamos ressuscitar a militância consciente que vai salvar o BRASIL dessa maldita ideia de que eleição é meio e ganhar dinheiro. Eleição é exercício de cidadania e a juventude tem que ocupar os seus espaços nesse importante evento democrático. Eu topo abrir mão do PROS para que essa juventude nele se organize. Obrigado Jamesson, obrigado.
Enquanto conversávamos, recebemos os carinhosos abraços do Fortunato o grande violonista clássico, do Jóca do Massaguaçu, irmão do Professor Júlio, e em seguida o Abraão o mecânico oficial da minha família. Assim é bom fazer política.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

UMA MURETA DIGNA DOS SHEIKS ÁRABES

Acordei, e me pus a pensar, porque "hay dias que no sé lo que me passa", segundo o poeta Vinicius de Morais, e penso, penso, e penso. Hoje está assim, e a minha cabeça quer saber o que pode levar o prefeito de Caraguatatuba, a aplicar mármore na mureta da praia, em uma extensão de mais de cinco quilômetros. Há mármore branco na face que dá de frente para a avenida e na superfície superior. A cidade é carente em quase tudo, e ele disse na rádio quase oficial, que não poderia investir mais na saúde porque já investia cerca de 30% do orçamento. Ora, entre colocar mármore na mureta da praia e aumentar o investimento na saúde, seria oportuno ter consultado a população para opinar se queria uma mureta de mármore ou mais investimentos na saúde. A UPA, aquela vergonha de UPA improvisada, que não tinha condições de atender a população, estava gerando a maior crise na saúde de Caraguá, na mesma  época em que ele colocava mármore na mureta. A pergunta que a minha cabeça me fez e eu não consegui responder é: Será que o prefeito de Caraguá gosta mais de mureta do que de gente?  Foi isso que me deixou "cabreiro" hoje. Mureta vota?

AO AMIGO G... UM ABRAÇO

Ser político no Brasil de hoje, não é boa recomendação pra ninguém. Ocorre que essa situação não pode perdurar por mais tempo porque o Brasil não merece a sua classe política dominante. Eu estou nessa disputa para deputado porque acho que tem que haver opções diferentes para os eleitores que pensam como eu. Fiquei feliz ao receber uma mensagem de uma pessoa de quem não posso publicar o nome, que disse que não ia votar nessas eleições, mas que resolveu ir às urnas para votar em mim. Eu respondi afirmando que se eu tiver poucos votos, ainda assim ficarei feliz, porque serão votos conscientes que dignificam a qualquer candidato. Me lembro de um candidato a vereador na eleição passada que me parou na rua e disse " gostaria de ter alguns votos seus que encontrei por ai. São pessoas que se votassem em mim me deixariam feliz".
A quantidade dessas pessoas que votam com consciência está aumentando e são esses eleitores que vão salvar o Brasil. Obrigado G..., um abraço.

A FORÇA DA MULHER

Dilma e Marina um páreo duro de se avaliar. As duas mulheres brasileiras já mostraram que os homens podem estar perdendo o poder de controle da sociedade. Quem viveu a discriminação contra as mulheres, tratadas como escravas da própria sexualidade, pode ver o quanto o mundo evoluiu. Quem vai vencer nesta eleição de presidente do Brasil, certamente é a mulher de novo. O brasileiro diz que gosta de mulher, então escolha uma e vote e não fale mais que mulher é pra tanque e fogão. Agora, "elas manda ni nóis, e pronto". Diria o mineiro, antes machão, agora submisso da força da mulher. Eu gosto do que vejo.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

A DEMAGOGIA DOS POLÍTICOS NA PERIFERIA

A situação dos políticos detentores de cargos no Brasil é um verdadeiro contra-senso. O político necessita de se fazer popular para conseguir os votos em grandes quantidades, e para tal, ele toma café em bares de periferia onde nunca entrara antes, abraça gente pobre, negro, nordestino, pessoas que nunca fizeram parte do seu rol de convivência. Entra na casa da senhora pobrezinha, mostra na televisão o seu desprendimento e assim consegue eleger-se. Terminadas as eleições, ele lava as mãos com álcool, joga fora a roupa que o povo abraçou, cospe o café que não conseguira engolir, e desaparece que nem um satélite que só aparece a cada quatro anos. O eleitor que se arrisca tentar cumprimentá-lo vai sofrer a maior decepção porque seus assessores vão perguntar: quem é você que se atreve se aproximar de sua alteza? Isso aconteceu em Caraguá, não faz muito tempo com aquela senhora que até guardou em sua casa, sem saber, materiais desviados ilegalmente e que foram usados na campanha. Eles sabem do que falamos. Um monte de caixas contendo drogas caras, tudo roubado.
Eu vou inaugurar a nova fase da política que valoriza o militante e assim que retirar os pontos de uma pequena cirurgia de retirada de uma pinta perigosa na pele do meu rosto, eu vou fazer o resto da minha campanha em praça pública, bem no meio do povo, mas não vou lavar as mãos com álcool, nem jogar fora a roupa ou cuspir o café que beber com eles. Precisamos voltar a ter relações sinceras entre politico e povo. Eles, os que lavaram as mãos com álcool, e cuspiram o café, não podem andar nas ruas se não recebem vaias, ovos, ou coisas piores. O meu desejo é mudar isso, é andar no meio do povo hoje e depois, se eleito for. Vamos desenvolver essa forma de convivência. O povo sabe onde vai pendurar o chapéu desta vez. Acreditem se quiserem, mas eu não tenho sido molestado nas minhas andanças, não estou prometendo nada e nem enganando as pessoas. O povo é bom, e quem o estraga são aqueles idiotas que só se elegem com promessas que não vão cumprir. Isso nós não fazemos. Dá pra ver que o povo já não é mais tão bobo como era em outras eleições. Quem viver verá que o povo já descobriu que o voto é secreto e livre.

sábado, 6 de setembro de 2014

SETE DE SETEMBRO

Introdução
A Independência do Brasil é um dos fatos históricos mais importantes de nosso país, pois marca o fim do domínio português e a conquista da autonomia política. Muitas tentativas anteriores ocorreram e muitas pessoas morreram na luta por este ideal. Podemos citar o caso mais conhecido: Tiradentes. Foi executado pela coroa portuguesa por defender a liberdade de nosso país, durante o processo da Inconfidência Mineira.
Dia do Fico
Em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro I recebeu uma carta das cortes de Lisboa, exigindo seu retorno para Portugal. Há tempos os portugueses insistiam nesta ideia, pois pretendiam recolonizar o Brasil e a presença de D. Pedro impedia este ideal. Porém, D. Pedro respondeu negativamente aos chamados de Portugal e proclamou : "Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico."
O processo de independência
Após o Dia do Fico, D. Pedro tomou uma série de medidas que desagradaram a metrópole, pois preparavam caminho para a independência do Brasil. D. Pedro convocou uma Assembleia Constituinte, organizou a Marinha de Guerra, obrigou as tropas de Portugal a voltarem para o reino. Determinou também que nenhuma lei de Portugal seria colocada em vigor sem o " cumpra-se ", ou seja, sem a sua aprovação. Além disso, o futuro imperador do Brasil, conclamava o povo a lutar pela independência.
O príncipe fez uma rápida viagem à Minas Gerais e a São Paulo para acalmar setores da sociedade que estavam preocupados com os últimos acontecimento, pois acreditavam que tudo isto poderia ocasionar uma desestabilização social. Durante a viagem, D. Pedro recebeu uma nova carta de Portugal que anulava a Assembleia Constituinte e exigia a volta imediata dele para a metrópole.
Estas notícias chegaram as mãos de D. Pedro quando este estava em viagem de Santos para São Paulo. Próximo ao riacho do Ipiranga, levantou a espada e gritou : " Independência ou Morte !". Este fato ocorreu no dia 7 de setembro de 1822 e marcou a Independência do Brasil. No mês de dezembro de 1822, D. Pedro foi declarado imperador do Brasil.
Bandeira do Brasil Império. Primeira bandeira brasileira após a Independência.
Pós Independência
Os primeiros países que reconheceram a independência do Brasil foram os Estados Unidos e o México. Portugal exigiu do Brasil o pagamento de 2 milhões de libras esterlinas para reconhecer a independência de sua ex-colônia. Sem este dinheiro, D. Pedro recorreu a um empréstimo da Inglaterra.Embora tenha sido de grande valor, este fato histórico não provocou rupturas sociais no Brasil. O povo mais pobre se quer acompanhou ou entendeu o significado da independência. A estrutura agrária continuou a mesma, a escravidão se manteve e a distribuição de renda continuou desigual. A elite agrária, que deu suporte D. Pedro I, foi a camada que mais se  beneficiou.
FONTE:  Site da UNOPAR

UM POUCO DE RECORDAÇÃO FAZ BEM

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

NEPOTISMO COM PROBLEMAS EM CARAGUÁ

17/9/2009 5:42Ministério Público firma TAC com Prefeitura e Câmara para acabar com nepotismo
Órgão que não cumprir o termo fica sujeito ao pagamento de multa diária de R$ 10 mil; medida atinge parentes de até 3º grau Mara CirinoFuncionários da Prefeitura e Câmara de Caraguatatuba devem responder até amanhã, aos seus respectivos setores de recursos humanos, se possuem parentes de até terceiro grau trabalhando, em cargo de comissão ou confiança, em algum departamento público desses órgãos. A medida faz parte do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado no início deste mês com o Ministério Público local. Só após a entrega da declaração é que será possível determinar quantos deverão ser exonerados.No documento assinado pelo promotor de Patrimônio Público e Social, Matheus Jacob Fialdini, pelo prefeito Antonio Carlos da Silva e pelo presidente da Câmara Omar Kazon ficou definido que, com base na Súmula Vinculante 13 “a prefeitura compromete-se a não nomear cônjuge, companheiro ou parente em linha reta ou colateral, ou por afinidade, até terceiro grau – pais, avós, bisavós, filhos, netos, bisnetos, irmãos, sobrinhos, tios, sogros e sogras, cunhados, genros e noras – da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento para cargo em comissão ou de confiança ou de função gratificada na administração pública direta ou indireta no âmbito do Poder Executivo”.Essa mesma recomendação é para a contratação de pessoas com parentescos com vereadores e vice-versa. As regras deixam de valer caso ocorra rompimento de vínculo matrimonial em parentes por afinidade e para os contratados por processo seletivo. A restrição também não se aplica quando a nomeação for de algum parente de servidor da prefeitura para trabalhar na Câmara, respeitando um intervalo de seis meses.De acordo com o promotor, se ocorrer qualquer nomeação em desconformidade com as disposições do presente TAC, a autoridade deverá estar atenta para exonerar o servidor irregularmente nomeado, sempre no prazo improrrogável de cinco dias da data do conhecimento do fato.Ainda conforme explicações do promotor Matheus Fialdini, esse TAC não se aplica ao primeiro escalão, no caso secretários e parentes, porém, se ele tiver filhos, genros, irmãos em cargo de confiança, os mesmos devem ser desligados da administração.“Essa é uma luta do Ministério Público para derrubar a prática do nepotismo e esse compromisso foi afirmado com as instituições”.Com base no Termo de Ajustamento de Conduta, o não cumprimento do que foi assinado implicará aos órgãos o pagamento de multa diária de R$ 10 mil, em caráter cumulativo enquanto perdurar a violação. Esse acordo, conforme o promotor, será homologado também pelo Egrégio Conselho Superior do Ministério Público do Estado.
O presidente da Ong Olho Vivo, João Lúcio Teixeira, fez denúncia este ano ao MP sobre a situação, assim como advogado Paulo Conceição. A partir daí a Promotoria instaurou o Inquérito Civil 17/09 que, além do nepotismo, investiga se não há desvio de função nos cargos em comissão.“É preciso coibir esse tipo de prática na cidade. Há três anos já havíamos denunciado situação semelhantes, os parentes foram demitidos e no início desse ano novamente muitos familiares foram contratados pela atual administração”. Conforme o promotor, o TAC é firmado com as instituições Prefeitura e Câmara e não com a figura dos seus representantes. “Dessa forma, ele deve vigora, independente do administrador”.
FONTE:IMPRENSA LIVRE

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

RESOLVI PARA O POVO E NÃO DO POVO

Já é fácil ficar bem na foto, e de tantas cobranças resolvi sorrir. Eis o meu novo
santinho que não é diabinho.

DECLARAÇÃO AO ELEITOR

Quando aceitei o convite do PROS para ser candidato a deputado estadual, não o fiz por vaidade, mas porque estou sempre nas redes sociais e no rádio onde trabalhei por dez anos em Caraguá, discutindo as questões de interesse coletivo ou social. Sempre achei, e continuo achando, que o debate leva ao conhecimento. Não esperava grandes repercussões da minha candidatura, mas tinha certeza de que era uma excelente oportunidade de discutir mais a fundo algumas questões importantes, e agora vejo que tenho chances reais desde que a “rede” resolva agir com vontade.
Nós pagamos impostos para que os prefeitos, governadores e presidente da república, nos devolvam tudinho em forma de serviços públicos. A constituição brasileira diz que o serviço público deve ser contínuo, de boa qualidade e eficiente.
Ai, a gente paga escola particular porque a pública é uma vergonha, paga seguro porque a segurança pública não é eficaz, paga convênio médico porque a saúde pública não vale a pena. Paga duas vezes pelo mesmo serviço e ainda assim não fica satisfeito.
Os governantes, que operam o nosso dinheiro, deveriam ser melhor fiscalizados, não acham?
A constituição diz que deputados e vereadores têm como principais atribuições fazer leis e fiscalizar o executivo. Esses parlamentares deveriam estar observando se os contratos públicos estão corretos, se as compras estão sendo feitas de forma adequada, se as contratações de empresas e pessoas respeitam ao interesse público. Ao invés disso, preferem pedir emprego pra uns cabos eleitorais ou parentes, fazer emendas orçamentárias pedindo esmolas e assim se negam a fiscalizar para não perderem os benefícios. Um exemplo típico em Ilhabela é o irmão da presidente da câmara ocupando secretaria e em Caraguá os irmãos de vereadores ocupando secretarias. Podem ser pessoas competentes, e não é disso que se fala, mas o fato é que ficam impedidos de fiscalizarem os prefeitos e seus secretários.
Eu quero dizer que eu já exerci o cargo de vereador em São José e nunca empreguei filho ou coisa igual. Fui secretário jurídico e nunca coloquei nenhum dos meus filhos em cargo público, embora tivesse três filhos adultos em idade universitária à época. Isso fez bem pra mim e pra eles também que aprenderam a ser livres.
Quero declarar a quem está acompanhando a minha campanha na rede, que se eu for eleito deputado, o que não acho fácil, vou entrar para a história do Brasil como um deputado que não troca a sua prerrogativa por favores, vou fiscalizar o governador, não como deputado de oposição porque acho ridículo esse título. Fica melhor o rótulo de independente, que vota a favor do povo quando necessário e contra as coisas tecnicamente erradas. Quero ser o primeiro deputado a criar no gabinete a CCC- Central de Combate à Corrupção. Por isso peço a você que está na rede, que transmita ao maior número de pessoas possível essa minha intenção de enfrentar a tirania sem medo. Alguém perguntou-me se eu não tenho medo de morrer assassinado ao mexer nesse covil que é a política em nosso país, e eu respondi e respondo que a vida sorri pra quem tem coragem de enfrentar as adversidades.
Peço que ajudem a transformar essa tentativa de eleição em questão de honra pra mostrar que o nosso dinheiro desviado não pode continuar elegendo os mesmos grupos. Não pode. Ajuda porque eu já falei e repito que o meu voto vai ser o mais barato, talvez do Brasil porque não vai haver esbanjamento eleitoral.
Peça uma plaquinha, um adesivo, mande E-mail aos seus correspondentes e ajude a construir uma nova mentalidade eleitoral no Brasil. Vamos juntos porque agora que estamos no meio do caminho só nos resta acreditar que é possível. Tem que ser possível.

João Lúcio- 90190- PROS -SP

A LOCOMOTIVA DA TECNOLOGIA ATROPELA OS VELHOS COSTUMES

Há, no Brasil, cerca de 760 mil aparelhos telefônicos dos chamados "orelhões", aqueles que resolviam as urgências e emergências, serviam para ligar pra namorada, passar trotes, e muito mais. A EMBRATEL fez um levantamento da utilização desses equipamento, e concluiu que cerca de 47% deles, podem estar fora do ar em razão de defeitos técnicos, restando 53% em atividade constante.
Dos que funcionam a utilização é de cerca de 3 ligações por dia, ou 2 horas de uso por mês. O lucro da operadora é de 6 centavos por ligação, enquanto que no celular o lucro é de 16 centavos. A conclusão é pela desativação de pelo menos 460 mil deles e por isso está em andamento uma pesquisa no site da EMBRATEL em forma de audiência pública, para definir pelo desligamento ou não dos "orelhões" de tantas glórias num passado recente.
A culpa é logicamente dos celulares que são mais de 200 milhões, número maior do que o numero de habitantes do Brasil. É o brasileiro no mundo digital.
A velocidade do progresso é assustadora e os políticos precisam estar antenados e conectados nesse emaranhado de informações sem fio.
Lembrei do comentário do Alexandre Garcia, que analisou o fracasso da candidatura do Aécio, classificando-o de menino velho, com discurso velho, e completamente desconectado. Isso mesmo, ele quis dizer que os políticos que ficaram pra trás, não podem seguir em frente.
Sem querer falar mal, mas apenas comentando, os filhinhos de papais, que são candidatos, não deveriam estar aqui na rede debatendo política com seus eleitores? Pois é, quem está na rede discutindo tudo é o João Lúcio que poderia ser pais deles. Acho que esses jovens rapazes tomaram o restinho do elixir da "velhidade" deixado no copo pelos seus papais e estão fazendo a campanha que nem o Aécio, que por sua vez, imita o velho Tancredo até no jeito de fazer discurso cantando meio fora do tom.
Se a EMBRATEL retirar os orelhões antes da eleição eles não vão conseguir fazer campanha eleitoral.
O Brasil precisa andar pra frente e de preferência, sem olhar pro passado.
João Lúcio- 90190- Deputado Estadual- PROS- SP

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

DILMA E MARINA SOBEM E AÉCIO DESCE

Parece que o Aécio está mesmo fora do páreo e a Dilma vai enfrentar a Marina na disputa da presidência do Brasil em 2014. Marina aparece com 34%, Dilma tem 37% e Aécio cai para 15%.
É sintomático o sinal dos eleitores que pela primeira vez fará a disputa entre duas mulheres. A Dilma mostrou sinais de reação já que cresceu 4 pontos percentuais nesta última semana. A leitura mais ajuizada desse quadro induz à ideia de que a situação segue favorável à Marina que segundo o levantamento ganharia em eventual segundo turno de 46 a 39 por cento.
A situação na semana passada era mais desfavorável à Dilma. Cautela e caldo de galinha é o melhor comportamento agora. Vamos aguardar, sem querer imaginar que estatística seja bobagem ou que os institutos sejam venais.

O JOVEM QUER SABER QUEM VAI REPRESENTÁ-LO

Dizem ao adolescente que ele tem que ter responsabilidade, que precisa usar camisinha, e ele aprendeu rapidinho a não provocar gravidez precoce, a fazer sexo seguro e faz mais bem feito do que alguns idosos, que com o advento do remédio da ereção tornaram-se os mais novos rebeldes sem causa. Disseram para os adolescentes que eles precisam votar e ajudar a escolher  seus governantes, permitiram-lhe a obtenção do título de eleitor, mas não lhes abriram as portas dos partidos políticos e nem lhes explicaram como é o funcionamento dessas caixas pretas. Querem que eles votem, mas lhes apresentam candidatos que nada têm a ver com as suas preocupações. Se os candidatos são novos na idade, são velhos no pensamento, ou estão na política defendendo interesses que não são os interesses da juventude, mas de grupos ou quadrilhas que empregam famílias inteiras numa verdadeira pirataria pública. Na maioria das vezes os candidatos são “velhas raposas” que sabem como ocupar os espaços partidários e vencer eleições usando o mesmo dinheiro roubado do povo. Não deram ao adolescente a opção de colocar no quadro de candidatos o seu candidato, aquele que iria defender o seu direito a um estágio profissional, o direito ao primeiro emprego, o direito de se especializar em cursos profissionais, que deveriam ser pagos com as verbas públicas que hoje preferem bancar a corrupção, ou empregar um monte de parentes safados. Não deram ao adolescente a oportunidade de defender por exemplo, o seu direito de ir ao motel e de dirigir veículo. Claro que quem pode escolher o presidente da república deveria poder dirigir veículo. Negam-lhe esse direito e permitem que velhos com dificuldade motora, sem visão plena, sem audição e sem destreza sigam “barbeirando” pelas ruas. Alguns políticos nefastos querem é diminuir a menoridade penal, para prender jovens, quando deveria se preocupar antes, em prender políticos corruptos.
Pois é, disseram ao adolescente que ele tem que ter responsabilidade na hora de votar, mas lhes apresentam um monte de candidatos malandros, que em fotos sorridentes querem enganá-los dizendo que vão mudar tudo, mas só mudam o dinheiro público de lugar, tirando-o dos cofres públicos e colocando-o no bolso das suas famílias. O jovem segue sem lazer, sem esportes, sem motel, sem carro, sem emprego, sem estágio, sem porra nenhuma, mas com direito a votar na bandidagem das fotos sorridentes e ainda são criticados quando resolvem não votar em ninguém.
Há alguns meses eu ministrei uma palestra para os alunos da ETEC de Caraguatatuba sobre “Democracia e a iniciação do jovem na política”. Eu não sou jovem, ao contrário sou “velho”, mas ainda não senil, já que aos 72 jogo futebol, toco violão, pinto meus quadros, escrevo livros e ainda tenho tempo para amar, tenho um blog há dez anos, estou no facebook, whatsapp, internet, tenho conseguido acompanhar a evolução tecnológica e entender a linguagem da juventude que inclui o meu neto de 21 anos, totalmente antenado. Vi, e lembro-me com clareza dos olhares atentos e daquela plateia de 14 aos 19 anos de idade, na palestra da ETEC, lendo cada palavra que eu pronunciava. Falamos de Maquiavel, Rousseau, e outros pensadores de estado e nada lhes tirava a tenção. Fiquei impressionado porque achava que o tema seria chato. Não foi. Vi ali um quadro de expectativas que não são atendidas. Vejo que todos os candidatos estão "preocupados" com a segurança, educação, saúde, mas nenhum está falando a linguagem do jovem, que tem as suas necessidades excluídas de quaisquer discursos políticos. E as perguntas? Me fizeram cada uma!

Ontem, na rua, o amigo Flávio alertou-me sobre essa falta de enfoque na juventude, e hoje eu acordei com isso na cabeça. Queria dar uma satisfação à juventude. Eu, que tenho algum prestigio nos meios políticos, quero reservar uma legenda partidária, e entregá-la à juventude de Caraguatatuba para que ela decida sobre a escolha do diretório municipal, organize o quadro de filiados somente com jovens, amigos e familiares dos jovens filiados, com a finalidade de elegerem seus candidatos nas eleições futuras. Se eles quiserem, eu lhes entrego o PROS, sem qualquer preocupação, assim que acabarem as eleições, e se não for essa a sigla de sua simpatia nós iremos juntos buscar outra sigla, e a juventude vai ser, por certo, o grande sucessor desse bando que está atualmente contaminando a vida política do Brasil. Se os jovens quiserem é só fazer contato e nós começaremos a filiá-los, para depois das eleições substituirmos o atual diretório do PROS pelos “novos” titulares. Posso ajudar mesmo que nem filiado eu seja. O que se quer é ver o Brasil em mãos menos corrompidas. Fica ai a dica aos nossos meninos e meninas. Meu E-mail é joaolucioteixeira@gmail.com  e podem ocupar o PROS que nós os atuais titulares entregaremos com o maior prazer. Pessoas que têm título de elçeitor podem filiar-se, mesmo que menores de dezoito anos. Chegou a hora da grande mudança, até porque, ou os jovens assumem o Brasil ou teremos que devolvê-lo a Portugal em situação pior do que o recebemos. 
João Lúcio Teixeira- Deputado Estadual - nº 90.190- PROS-SP

terça-feira, 2 de setembro de 2014

O VOTO CONSCIENTE PODE SALVAR O BRASIL

O grande dilema das disputas eleitorais, é o mesmo de William Shakespeare:

Ser ou não ser, eis a questão: será mais nobre
em nosso espírito sofrer pedras e setas
com que a Fortuna, enfurecida, nos alveja,
ou insurgir-nos contra um mar de provações
e em luta pôr-lhes fim? Morrer.. dormir: não mais.

Eis uma parte do pensamento aparentemente confuso exarado pelo autor, que em momento de profunda reflexão discute o impreciso momento de vacilação entre o agir ou não agir, dormir ou permanecer acordado, lutar ou não lutar.
As campanhas políticas mostram com clareza a razão de Shakespeare, quando se avistam os milhares gastos nesses embates. Candidatos sem conteúdo, sem instrução, sem caráter, repletos de desonestidades, e de mau comportamento posam nas fotos bem elaboradas nos tais "fotoshop", rindo da cara do povo e, acabam convencendo o eleitor de que são grandes benfeitores da humanidade. Ainda que não passem de ladrões, que utilizam notas frias nas contas públicas, que cobram ajuda das empresas que prestam serviços públicos, que roubam dos cofres para pagarem a conta das eleições, eles acabam se elegendo e reelegendo usando de um expediente que a bandidagem palaciana aprendeu a utilizar. Roubam muito, gastam um tanto nas eleições, mas e ainda lhes sobra bastante, com o nosso dinheiro roubado se reelegem ou elegem os seus candidatos, e continuam roubando e se reelegendo a custa do sacrifício do povo que não tem saúde, educação, segurança, mas que iludido pela esperteza dos grupos organizados, seguem colaborando com seu voto para esse ciclo vicioso do roubar para se reeleger e se reeleger para continuar roubando.
Faz muita falta nessas horas, a antiga militância partidária que se avistava em épocas da história recente da política brasileira. Era o militante do Getúlio Vargas contra os militantes do Carlos Lacerda, ou os militantes da ARENA contra os do MDB, ou os militantes do antigo PT contra os do PDS ou PFL.
Não há mais lado na nossa consciência popular e isso transformou as eleições em atividades profissionais onde o marqueteiro é mais importante do que o candidato e a militância é remunerada tal qual as torcidas organizadas dos grandes clubes que só vão ao estádio depois de receberem alimento, ingressos, hospedagem e muito mais.
Um candidato que não aceita a tal profissionalização do sistema terá dificuldades para fazer sua campanha porque ninguém em sã consciência vai retirar recursos da sua família para  competir em condições de igualdade com essa pirataria.
Algumas pessoas me procuraram para dizer que precisam ganhar algum dinheiro e querem trabalhar na campanha. Digo não e as vejo desapontadas.
A pergunta é simples: Quem vai tirar dois milhões do bolso para ser deputado?
O deputado ganha cerca de 18 mil por mês que multiplicados por 48 meses de mandato somarão menos de um milhão. Com se poderá explicar o gasto de 2 milhões para receber um?
Quero agradecer às pessoas que estão voluntariamente na minha campanha e dizer a vocês que se eu for eleito ou pelo menos bem votado, estaremos rompendo com a safadeza  desses picaretas que roubam o nosso dinheiro e a nossa esperança. Eles não podem continuar vencendo eleições, não podem. Nós temos que reagir e a única arma que nos resta é o voto secreto e livre.
Fique atento e não vote em candidato que tenha cheiro de corrupção. Há candidatos que merecem respeito como o Gianasi do PSL, o Suplicy, do PT, o Paulo Brossad senador gaucho do PMDB, e eu pretendo um lugar nesse meio, mas só se for pelo ideal. Quero votos gratuitos e colaboração voluntária porque não posso e nem quero pagar para ter votos.
Foi um desabafo. Só um desabafo que tem endereço certo. Não votem em bandidos. Cuidado.
João Lúcio - 90190- Deputado Estadual- PROS- São Paulo